quarta-feira, 18 de julho de 2007

Encapsulada

Noite e chuva se misturam
Respingam fios miúdos
Escuros e úmidos
Caindo em transe
Tremeluzindo à luz
Trazendo as guias
Da melancolia fria
Que rodeia meus passos
Em voltas e contras
Vestindo a revelia
De cores esdrúxulas
As horas que arrasto
Quando colo meus olhos
Na névoa que encobre
Os vícios de antes
E resgato a imagem
Debruçada na memória
Encapsulada para não me perder.

Um comentário:

Edson Marques disse...

Ivone,


"encapsulada para não se perder"...


Que bonito isso!


Mas, suponho, com a chave para a explodir a cápsula, se necessário.




Abraços, flores, estrelas..


.