quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

O silêncio da última palavra que por si só fala

...e o que mais me intriga
é a síntese de tudo

foi preciso desbravar toda uma floresta
para poder dormir de um simples cansaço.

2 comentários:

Flávio Mello disse...

lindo... adoro o poema/vegetal... lirico/florido... beijo e parabéns...


força na pena e luz no poema

FMello

Seba disse...

gosto de palavras breves.


gostei daqui.