terça-feira, 27 de julho de 2010

desenho

se desenhasse tua boca
ia direto à língua

que nem Michelangelo
que toca o cadáver
a descobrir o músculo
no tato

exporia ao mundo
o que não se vê
na corrente sanguínea

que estremece o intocável
ser

ser nua a esfinge
na fissura da lâmina

que nem o dedo de Deus
a dispensar altares
e espalhar as cores
em forma de querubins
me cerceando

o pecado é santo
a língua limpa
a língua
a língua

sou pura demais
e o preço é alto
não falo de amor
não falo de conveniências
sou toda inconveniência

e você
acorrentado nesse pedestal
detentor da própria chave
nenhuma decisão me cabe

ah! se adivinhasses o quanto me custa!


Ivone fs


_________________________________________________________

◘ escolhi alguns COMENTÁRIOS do BDE pra postar aqui:

1. "Que lindo Ivone! Mais um motivo para tua inspiração ser invejada. " Ruy Vilani

2. "querida parceira

Sempre de leve
tem um toque
que a gente as vezes
nem sente
mas sabe
porque arrepia
mesmo sem saber
de onde vem... " Ivo

3. "Fodaço de bom!!
nesse tom de solilóquio não é fácil de escrever. é para quem tem agulha afiada!
e Iv, fia esses monólogos como ninguém. Acho até que deveria escrever mais nesse estilo, lindama." Calaça

4. "iv, e se vc cantasse como quem transborda, baldeada, encanto e bons augurios?

..será q alcançaria o outro lado =) " Lanoia

2 comentários:

Marcelo Novaes disse...

Ivone,



Repetindo o que eu disse no Face:

Anatomia sonora.




Começa muito bem e mantém a pegada.






Um beijo.

Trish River disse...

Belíssimo, Ivone.