terça-feira, 29 de junho de 2010

Costas

o sol não nascia hoje
“é uma noite eterna”, eu pensava

a cama me expelia, mas eu não saía

o motivo era uma mochila nas costas
uma promessa vaga e o gosto de um beijo

eu fiquei no gosto desse beijo e no vago dessa promessa

que era para o fim do dia


(Ivone fs)

2 comentários:

aluisio martins disse...

quando chega a noite os pesos se deitam e o alivio é chama

Marcelo Novaes disse...

Ivone,



Olha só o "espírito de mochileiro(a)" aqui!


;)





Um beijo.