domingo, 11 de outubro de 2009

ele sabe rasgar-me o peito

e não cirze, deixa o feito

se fosse pra dizer tudo
teria que pintar
talvez filmar
ou fazer uma radiografia

minha pele se debatendo
(en-cena)

carne que resiste
(ao veneno)
à bala
à faca
ao flagelo

pálida, não sangra
feita estátua de santa
à confissão reverbera

ele dizia:
- ela é tão boazinha e não há quem dela não goste

eu pensava:
- só você me bastava. não preciso de tanto

Um comentário:

penanegra disse...

Não seja tão dura consigo mesma...
heheheh
=D
Há tempos não passo por aki da um oi ou deixar um recadim. Pra variar, é sempre bom ler seus escritos
Abraços Iv.